O FUTURO DA HUMANIDE - REFLEXÕES






sábado, 14 de maio de 2011

0007 - RESPOSTAS AOS ATEUS II

Tenho respeito por vocês por serem pessoas que exercem o direito da livre expressão de pensamentos e defendem um ponto de vista polêmico e, até mesmo, preconceituado pela sociedade .

Assim, proponho considerarmos a eterna polêmica do espiritualismo X materialismo a um rolo de corda sobre o chão: vamos imaginar que a corda serve para alguém sair do fundo de um poço e, não para se dependurar pelo pescoço. Acho que optar pelo otimismo, sobre a questão, pode ser uma medida mais interessante e com o mesmo peso em relação a verdade absoluta, que não é conhecida.

Sabemos que um aglomerado de elementos químicos em grande abundancia no universo, reunidos em um algum lugar sobre determinadas condições de pressão, temperatura e intensidade elétrica, tudo isso favorecido pela falta de pressa de generosos bilhões de anos pode levar a formação de moléculas vivas. Imaginar que, da mesma forma, estas moléculas possam se transformar em seres complexos: uns com pênis outros com vaginas, uns inteligentes outros não, ainda assim podemos atribuir ao acaso e a aleatoriedade.

Resta-nos neste momento sermos otimistas e crermos que o aleatório e o acaso são apenas metodologias de trabalho do "Grande Arquiteto". O pensamento contrário não traz nenhuma garantia de veracidade e é péssimo imaginar que somos apenas poeira.

Vamos pensar que a CORDA serve para sairmos do fundo do poço e não para se de dependurar pelo pescoço.

Alem do mais creio que o ateísmo se sustenta muito mais na ingenuidade e na estupidez das teologias conhecidas do que na lógica e nas razões do materialismo.

Tenho uma proposta inédita de nova teologia para a humanidade. Esta pretende basicamente explicar o porquê da Odisséia humana na terra e o porquê do sofrimento dos seres humanos e dos animais. Vale lembrar que nenhuma filosofia ou religião conhecida jamais deu tal explicação. Gostaria de partilhar com vocês aqui no blog que estou acabando de criar. Quem sabe vocês não vão concordar comigo?

Respeitosamente,

Antonio ferreira rosa.

Nenhum comentário: