O FUTURO DA HUMANIDE - REFLEXÕES






segunda-feira, 27 de junho de 2011

0013 - O HOMEM E A MULHER

"O homem é a mais elevada das criaturas.
A mulher é o mais sublime dos ideais.
Deus fez para o homem um trono;
Para a mulher um altar.

O trono exalta; o altar santifica.
O homem é o cérebro; a mulher o coração, o amor.
A luz fecunda; o amor ressuscita.
O homem é o gênio; a mulher o anjo.

O gênio é imensurável; o anjo indefinível.
A aspiração do homem é a suprema glória;
A aspiração da mulher, a virtude extrema.
A glória traduz grandeza; a virtude traduz divindade.

O homem tem a supremacia; a mulher a preferência.
A supremacia representa força.
A preferência representa o direito.
O homem é forte pela razão; a mulher invencível pelas lágrimas.

A razão convence; a lágrima comove.
O homem é capaz de todos os heroísmos;
A mulher de todos os martírios.
O heroísmo enobrece; os martírios sublima.

O homem é o código; a mulher o evangelho.
O código corrige; o evangelho aperfeiçoa.
O homem é o templo; a mulher, um sacrário.
Ante o templo, nos descobrimos;

Ante o sacrário ajoelhamo-nos.
O homem pensa; a mulher sonha.
Pensar é ter cérebro;
Sonhar é ter na fronte uma auréola.

O homem é um oceano; a mulher um lago.
O oceano tem a pérola que embeleza;
O lago tem a poesia que deslumbra.
O homem é a águia que voa; a mulher o rouxinol que canta.

Voar é dominar o espaço; cantar é conquistar a alma.
O homem tem um fanal; a consciência;
A mulher tem uma estrela: a esperança.
O fanal guia, a esperança salva.

Enfim...
O homem está colocado onde termina a terra;
A mulher onde começa o céu...

VICTOR HUGO

sábado, 25 de junho de 2011

0012 - RESPOSTAS AOS ATEUS V

Prezado

Oiced Mocam e demais ateus do mundo.

Digo que, mais uma vez você esta quase certo. Só peca quando nega, irracionalmente, a existência de uma Inteligência Superior e de outra vida após esta vida. Concordo contigo e com todos os ateus quando vocês criticam as presepadas da humanidade para fabricar as religiões e seus estereótipos de deuses, ao longo da história.

E, nesse particular, me desculpe os católicos e os evangélicos, o Cristianismo ganha por larga vantagem. Não sei quanto tempo ainda a Humanidade vai levar para se recuperar deste engano que, reputo o maior já produzido pela humanidade. Maior até que o do Judaísmo e o do Islamismo. Até quando a humanidade, movida pela ingenuidade e estupidez dos crentes, vai ser “ovelha” dos papas, dos luteros, dos rabinos, dos macedos, dos valdomiros, e outros exploradores da ignorância humana?

Creio que Deus nunca esteve na terra, muito menos, na condição humana e com o objetivo que se alega. E, a humanidade nunca esteve perdida, portanto, nunca precisou de salvação a não ser a salvação que ela mesma está construindo ao longo da sua odisséia terrena motivada pela insaciável sede de conhecimento e evolução. Acredito que, somente através desta viagem sem volta, navegando no meio do obscurantismo religioso e das demais dificuldades próprias da cada época. Utilizando como bússola, o embate filosófico democrático daqueles que tem o privilégio do pensamento lógico, passageiros da ciência, rumo ao "conhecimento absoluto". Só assim, dominaremos a morte; eliminaremos toda espécie de "Mal" do meio da nossa espécie; dominaremos o tempo, o espaço e a matéria; e, desvelaremos a verdade por traz do Planejador Inteligente da nossa odisseia terrena, e do nosso destino, após ela...

Volto repetir, acabar ou virar poeira cósmica, com a morte, jamais. Esta possibilidade filosófica não se sustenta no terreno da coerência e da lógica.

Aliás, sobre a explicação do motivo da nossa odisséia terrena gostaria de lembrar que minha tese dá uma explicação bastante coerente. Veja “UMA NOVA TEOLOGIA PARA A HUMANIDADE”. Aqui neste blog.

Quanto a você meu caro gaucho Oiced Mocam saiba que quando fechar os olhos aqui nesta dimensão, muito possivelmente, abrirá imediatamente em outra perfeita e absoluta e, talvez diga: Baaah tchê! Não é que eu estava taPAdo de engano e o Antonio, coberTAdo de razão? Mas, baaah!!!

Não se esqueça que pensar assim, além de ser melhor e mais conveniente para nos, é uma questão de ser muito mais inteligente. Afinal, as evidências pró, são muito maiores que as evidências contra, que você diz ter ao seu favor; o rol dos motivos favoráveis à existência de uma inteligência por traz de tudo que existe é muito maior; o número de perguntas que os ateus não conseguem responder ao defender suas idéias fundamentadas no “não existe”, são muito maiores do que o número de perguntas que os teistas não conseguem responder.

Os ateus precisam entender que a estupidez e a ingenuidade das teologias criadas e praticadas pela humanidade e, as religiões e as caricaturas de Deus, por elas produzidas, nunca foram e, menos hoje é, argumento convincente para negar e existência de um Planejador Inteligente para a odisséia humana na terra.

Para encerrar digo que o artigo que postei sob o título: RESPOSTAS AOS IRMÃOS ATEUS IV representa uma evolução do pensamento sobre o tema. Quem tiver tempo pode ler o texto aqui neste blog.

Abraço.

antonioferreirarosa.blobspot.com

terça-feira, 21 de junho de 2011

0011 - RESPOSTAS A UM “CRENTE”

Sobre seu comentário em meu blog referente ao texto que postei sob o título “RESUMO DE O VERDADEIRO PAPEL DE JESUS NA TERRA”-Você me pergunta se eu sigo alguma religião, respondo com certeza: A religião do Deus criador de você, de mim, e de todo o universo perceptível e não perceptível. Será que esta minha religião inclui o que tem dentro da bíblia? Eu digo somente o que tem de bom e útil. E isto não dá mais do que umas 10 páginas.
Sobre a afirmação de “Vir por amor ou vir pela Dor” saiba que isto não passa de um jargão desgastado e sem sentido, usado para coagir e por medo em pessoas ingênuas, portanto, não me preocupa. Todos, sem exceção, estamos sujeitos às mesmas possibilidades de venturas e desventuras. Estes fatores têm muito mais a ver com o nosso grau de otimismo ou pessimismo em relação à vida do que com a opção pelo cristianismo ou por outra religião qualquer. Alem do que sobre a questão da dor e do sofrimento do ser Humano tenho uma resposta muito mais convincente, pela sua coerência, do que as respostas dadas pela bíblia. Se é que alguém consegue achar respostas para estas questões dentro da bíblia.
Dizer que a dor e o sofrimento do ser humano têm a ver com ingestão de maçã, é adotar ridículas mitologias como verdades. Esta explicação não convence mais nem crianças de 10 anos de idade. Como pode convencer adultos inteligentes? Só mesmo adotando mitologias como verdades.
Sobre a questão da dor e do sofrimento da humanidade leia minha tese postada neste blog sob o título: “UMA NOVA TEOLOGIA PARA A HUMANIDADE” e você vai ter respostas satisfatórias e coerentes, aceita-las ou refuta-las é uma questão de opção pessoal. Já é hora da humanidade se livrar dos dogmas mitológicos e tribais impostos pelas teologias Judaica, Islâmica e Cristã, que tantos males e atrasos causaram e causam à humanidade.
Sobre estar confuso ou em cima do muro saiba que não penso assim, minha postura é clara: Jesus como outros seres humanos iluminados, veio a terra pelos mesmos motivos que eu e você, pelo motivo que coloco em minha tese (conhecer o mal e o sofrimento para conseguir perceber o bem e a felicidade que nos esperam no paraíso para onde iremos). Só há uma diferença, Jesus veio com uma missão adicional: Pregar o amor, a solidariedade e a caridade. Jamais foi morrer para nos salvar. A humanidade nunca esteve perdida, mesmo porque inferno não existe somente o paraíso existe. O inferno só existe nas mitologias criadas pela própria humanidade.
Saiba que Deus, JAMAIS, cobraria de qualquer ser humano qualquer tipo responsabilidade por crer ou não crer em Jesus. É uma questão de justiça e justiça é a essência de Deus. Nenhum indivíduo pode ser testemunha ou dar testemunho e, portanto, ser responsabilizado por daquilo que não viu, não ouviu e não sentiu, enfim, não percebeu com nenhum dos sentidos. Com certeza Deus respeita este princípio, elementar, do direito. Principalmente sobre um fato acontecido a mais de 2000 anos, muito mal circunstanciado sob o ponto de vista da antropologia e, tremendamente manipulado pela história e pela igreja católica. Dizer que a bíblia é palavra de Deus é incoerência. A bíblia contém pequena parte de seus relatos coerentes com a natureza Divina, mas, caberia em apenas umas 10 páginas aproximadamente.
Leia também neste blog o texto que postei sob o título: “O QUE É INSPIRADO POR DEUS DENTRO DA BIBLIA”. Fique absolutamente tranqüilo, ninguém pode ser responsabilizado pelo que não viu e não fez. Muito menos o seria por Deus. Admitir o contrário é admitir que Deus seja louco ou tirano. Como alguém inteligente pode pensar que Deus agiria com tamanha incoerência, falta de bom senso e injustiça? Presta atenção meu amigo ou amiga já que você não quis se identificar no comentário que fez.
Obrigado pela presença em meu blog.


Antonio Ferreira Rosa.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

0010 - RESPOSTAS AOS ATEUS IV

Caro Oiced Mocam (e demais ateus do mundo). Para explicar que você esta sendo insuficientemente coerente em suas refutações, digo mais, você esta usando de dois pesos e duas medidas para defender sua idéia fixa e obstinada, também, fruto da ignorância de conhecimentos e explicações convincentes. Se não é assim, o que fundamenta sua convicção sobre a inexistência de um “Deus” ou um “Planejador inteligente” para o universo? Será que suas colocações, diga-se de passagem, corretas, sobre a superação de mitos como os de “Zeus” e a compreensão de fenômenos sísmicos, climáticos alem de outros aspectos evolutivos do conhecimento, já consolidados, são suficientes para a “sólida” postura?

Existe alguma comprovação científica suficiente para tais refutações e para legitimar tal assertiva? Você critica as práticas teistas como “lacunas do conhecimento,” se você incluísse o posicionamento ateu, não faltaria coerência e bom senso, elementos essenciais para qualquer posicionamento literário e científico, que você, com o perdão da palavra, não está usando. Você se esquece que, também, usa o princípio da “fé” e outros princípios não científicos?

Sobre a questão das “lacunas do conhecimento” que você, muito bem coloca, vale dizer que envolve ambas as tendências e não somente a teísta. E, sobre o antropológica e natural superação das mesmas, vou lembrá-lo novamente de uma contestação que fiz a um dos seus textos, há algum tempo:

...crer que, com a morte do corpo tudo se acaba com certeza é tão absurdo e extremo, quanto crer nos paradigmas e nos dogmas mitológicos das teologias tribais que a humanidade do terceiro milênio insiste em defender, fanaticamente, em plena era da internet e de tantas outras conquistas tecnológicas do nosso tempo.
É mais coerente crer que um fenômeno que não tem explicação (a morte e o sofrimento dos seres humanos e dos animais), está por ser explicado e, justamente por isto não pode ser encarado como o fim de tudo, mas, como um sério desafio à curiosidade e, à inteligência humana em sua odisséia terrena...

Incluo, neste momento, nesta minha premissa o ateismo X teísmo. E digo que o futuro desta polêmica será, simplesmente o conhecimento em todo o seu apogeu, absoluto, pleno de vigor e potencial de esclarecimentos, respostas e soluções de problemas para a humanidade. O que nunca disseram para vocês ateus e que, espiritualidade hoje, é o mesmo que ciência, no futuro; que a ciência de hoje não é nada mais do que a espiritualidade do passado.

Nesse sentido chegaremos a um desenvolvimento científico a tal nível que, problemas que hoje constituem verdadeiros “mistérios espirituais” como o nascimento e a morte, serão chamados simplesmente “materialização e desmaterialização.” As limitações, hoje, impostas aos seres humanos pelo trinômio tempo X espaço X matéria terão sido superadas e o seu domínio transformado na maior e mais importante “ferramenta” de ação da nossa espécie. Muito antes, a dor e os sofrimentos terão deixados de existir porque os problemas que os causaram por milênios terão sido todos equacionados, por exemplo: a eliminação do gene do egoísmo e seus afins, do nosso mapa genético.

Quero dizer que a “eterna” dicotomia Ciência X Espiritualidade terá, nessa época, chegado ao seu fim. Ciência e Espiritualidade, sempre foram e serão a mesma coisa. A Espiritualidade é a Ciência não desvelada. E a Ciência é a espiritualidade desmistificada. Assim, podemos dizer que a ciência de hoje é a espiritualidade do passado e a espiritualidade de hoje é a ciência do futuro. A diferença está apenas no tempo em que existe o sujeito ou o observador, apenas na relação do tempo presente com passado e o futuro.

Outro pressuposto que defendo, ao contrário de vocês ateus, é que todos os que contribuíram com suas primitivas existência e sacrifícios para o acesso a esse estágio de desenvolvimento cientifico e existencial da espécie humana (todos os que já morreram) não terão se perdido ou virado poeira cósmica. Suas essências, almas ou espíritos ou, outros nomes que se queiram dar ao que se transformaram todos os que por aqui passaram, e tiveram suas experiências com o sofrimento e o MAL, terão sido resgatados ou “salvos” por aqueles ou, por aquele que já está em tal nível de desenvolvimento e existência científica ou espiritual como queiram. As duas realidades são a mesma coisa, hoje uma maioria religiosa chama de existência Espiritual e uma minoria, os ateus, simplesmente de inexistência. Se, hoje, nos dirigimos ao passado a Espiritualidade deles virou Ciência para nos. Se, hoje, nos dirigimos ao futuro a Ciência por não ser desvelada, continua sendo a Espiritualidade, para nós, mas será simplesmente Ciência, para eles.

Obviamente que a presunção deste modelo, não exclui em nenhuma hipótese, a existência do “Grande arquiteto” ou do planejador inteligente, ou dos planejadores inteligentes, como queiram. Muito pelo contrário, inequivocamente, nos levará a ele ou a eles. Mesmo que o seu nome seja CONHECIMENTO ele será poderoso, inteligente e, principalmente, voluntarioso. A Aleatoriedade e o acaso ou qualquer forma de aprimoramento destes, simplesmente, creio não ser a surpresa exclusiva a ser confirmada ao final, mas apenas, caminhos para o bem aventurado destino, estado de ser e estar, paraíso, como diz alguns.

Sei que o Tempo o Espaço e a Matéria são as três únicas dimensões que percebemos com todos os nossos sentidos. Sei que o espaço e a matéria são as dimensões que os animais irracionais percebem, visto que estes não percebem a dimensão Tempo. Algumas perguntas nos restam fazer: Qual a outra ou as outras dimensões não percebidas, por nos, nesta condição material? Não será o conhecimento desta outra dimensão que nos tornará independente das limitações impostas pelas três dimensões já conhecidas? Esta dimensão que hoje só é desvelada com desmaterialização (morte) não será desvelada, também, pelo conhecimento absoluto? E, este não poderá ser o próprio DEUS inteligente e voluntarioso?

Acabar ou desaparecer com a morte, NUNCA, JAMAIS. Admitir estas hipóteses é duvidar que o conhecimento em sua forma absoluta, já exista em algum lugar do universo ou em alguma outra dimensão não conhecida, até aqui. É adotar puramente o princípio da Fé para sustentar a refutação. É duvidar que DEUS seja o pai da ciência. Ou que o conhecimento ou Ciência como queiram, em sua forma absoluta, seja o próprio DEUS, porém, Inteligente e voluntarioso.

Voltemos portanto, por enquanto, para ESPIRITUALIDADE, saga nossa, de cada ser humano nesta odisséia terrena até o instante da “desmaterialização involuntária”, condição única, por enquanto, para nos levar para onde a verdade, o conhecimento, a plenitude, a felicidade, enfim, para onde a Ciência é a Espiritualidade se fundem definitivamente numa realidade só. Digo condição única, por enquanto, porque o domínio sobre a morte (desmaterialização involuntária) é apenas uma questão de tempo e nesse tempo ela não será mais involuntária, mas, voluntária.

Alguém poderá perguntar por que toda esta complexa e misteriosa epopéia existencial? Respondo: leiam minha tese “Uma nova teologia para a humanidade” e terão a resposta. Lembremos ainda que filosofar não faz mal a ninguém.


Antonioferreirarosa.blogspot.com