O FUTURO DA HUMANIDE - REFLEXÕES






quinta-feira, 27 de setembro de 2012

0074 - MAIS UMA DA BÍBLIA...


Há muito tempo cheguei  a seguinte conclusão:  Se admitirmos a natureza benigna de DEUS;  se admitirmos que ele é  bom e justo, essência máxima do bem,  temos que admitir que a Bíblia é mentirosa, falsa e caluniadora da pessoa de DEUS.                                                          
Não é possível acreditar na Bíblia porque ela afirma que DEUS é assassino de criancinhas de peito... Veja uma, entre dezenas de passagens, que Deus “manda” matar, na bíblia. (1Sm 15:3)
"Vai, pois, agora e fere os Amalequitas; e destrói totalmente a tudo o que tiver, e não lhe perdoes; porém matarás desde o homem até à mulher, desde os meninos, até aos de peito, desde os bois até às ovelhas, e desde os camelos até aos jumentos." (1Sm 15:3)

Verificando essa questão religiosa sob o prisma da antropologia das religiões e do desenvolvimento político da humanidade, observamos que era muito comum na antiguidade, há dois, três, quatro mil anos, as sociedades ser comandadas por líderes políticos e religiosos ao mesmo tempo (Sacerdotes). Acreditavam piamente, que tudo que lhes vinha à mente era “ordem de Deus”. Obviamente, neste “estado de direito”, quando lhes faltavam a convicção “espiritual”, usavam o argumento para legitimar suas atitudes políticas. Tenho a mais absoluta convicção que a Bíblia, em especial o texto acima, é, indubitavelmente, o mais puro resultado dessa prática.                               

Quem acredita que uma ordem dessa natureza possa ter vindo de Deus; quem defende a Bíblia dizendo absurdos do tipo “Deus dá a vida por isso tem o direito de tirar a vida...” ta tão equivocado quanto à própria bíblia. Não deveria ter medo do inferno nem do “diabo” (que, aliás, não existem) porque ele e esse “deus bíblico” não têm nenhuma diferença um do outro.

A prática de matar e colocar a culpa em DEUS ou dizer que foi ele quem mandou, é própria de povos covardes e sanguinários, desde o mais remoto passado da humanidade, na tentativa de legitimar suas atitudes hediondas.

Acho forçosamente razoável pensar que a bíblia e um grande equívoco, estupidamente aceito como verdade, por grande parte da humanidade do presente, do que admitir a malignidade da natureza divina; do que admitir que Deus tem  traços da natureza humana em sua personalidade Divina.
Assim tenho que dizer, o Deus verdadeiro, criador de nós e desse Universo fantástico que conhecemos, nós Livre do “deus bíblico”.

Honestamente não consigo entender a dificuldade de percepção dos crentes para uma realidade tão óbvia...

                                                            Antonio Ferreira Rosa.    

   

7 comentários:

Carlos Vicente Boccia (Cavibo) disse...

às vezes não sei o que dizer a respeito da bíblia. Mas, às vezes também, sinto que ela deve ter sido uma invenção dos homens. Não de homens ou mulheres de uma mesma geração: mas de gerações às vezes próximas e outras bem distantes. Saramago, o escritor português, disse, uma vez, que Deus foi uma invenção do homem. E eu acho que pode ter sido mesmo: quando ele descobriu que era mortal e não queria que a vida cessasse nele - ninguém quer, inventou uma vida eterna e criou uma justificativa de somente alguns adentrarem nessa eternidade desde que se seguissem normas que este deus impusesse. O deus judaico é um deus mau, portanto. E o cristianismo o absorveu, impondo uma coisa pior: que veio um salvador, intermediário, a quem deveríamos obedecer restritamente... Falo tudo isso, caro amigo, mas tenho medo de o dizer: fui criado numa família de tradição cristã católica, que me incutiu, talvez sem saber, sem querer, esse medo se não obedecer às tais imposições. No entanto, apesar do medo, penso que Deus existe, sim. Que foi ele quem criou o mundo e tudo o que nele está, inclusive nós mesmos... Que Ele existe em nós e em todas as coisas que existem por aqui. Mas, mas... acho, pelo menos por agora, que como tudo o que neste mundo acaba, finda, seremos finitos também, não iremos a lugar nenhum porque não existe vida em outro lugar se não aqui e em outros planetas, talvez, mas de outra forma. A bíblia não me convence em nada. Em nada, repito. Mas se o medo de não ser mais nada depois que eu morrer, tal como antes de nascer eu teria sido, me faz pior... Portanto, quero, porque sinto necessidade, de me iludir com a eternidade, de acreditar que uma vida eterna exista... bação. Cavibo.

Carlos Vicente Boccia (Cavibo) disse...

às vezes não sei o que dizer a respeito da bíblia. Mas, às vezes também, sinto que ela deve ter sido uma invenção dos homens. Não de homens ou mulheres de uma mesma geração: mas de gerações às vezes próximas e outras bem distantes. Saramago, o escritor português, disse, uma vez, que Deus foi uma invenção do homem. E eu acho que pode ter sido mesmo: quando ele descobriu que era mortal e não queria que a vida cessasse nele - ninguém quer, inventou uma vida eterna e criou uma justificativa de somente alguns adentrarem nessa eternidade desde que se seguissem normas que este deus impusesse. O deus judaico é um deus mau, portanto. E o cristianismo o absorveu, impondo uma coisa pior: que veio um salvador, intermediário, a quem deveríamos obedecer restritamente... Falo tudo isso, caro amigo, mas tenho medo de o dizer: fui criado numa família de tradição cristã católica, que me incutiu, talvez sem saber, sem querer, esse medo se não obedecer às tais imposições. No entanto, apesar do medo, penso que Deus existe, sim. Que foi ele quem criou o mundo e tudo o que nele está, inclusive nós mesmos... Que Ele existe em nós e em todas as coisas que existem por aqui. Mas, mas... acho, pelo menos por agora, que como tudo o que neste mundo acaba, finda, seremos finitos também, não iremos a lugar nenhum porque não existe vida em outro lugar se não aqui e em outros planetas, talvez, mas de outra forma. A bíblia não me convence em nada. Em nada, repito. Mas se o medo de não ser mais nada depois que eu morrer, tal como antes de nascer eu teria sido, me faz pior... Portanto, quero, porque sinto necessidade, de me iludir com a eternidade, de acreditar que uma vida eterna exista... bação. Cavibo.

Sulamita Rosa P. Yonamine disse...

Tio, meu querido tio! é a primeira vez que leio uma mensagem no seu blog e gostaria que soubesse a minha singela opiniao...vejo muita agressividade e revolta da sua parte com Deus e isso gera parcialidade em seus textos,ele é um pai para os homens e um pai quando ama corrige e corrige porque quer ver os seus no caminho do bem e nao porque quer mostrar sua superioridade!Deus nos deixou bem claro que ele é AMOR mas também JUSTIÇA! eu tbm nao estou firme nos mandamentos, porque também tenho as minhas indagaçoes, mas em todo momento peço para que Deus exclareça tudo quanto tenho que saber, pois da existencia dele e da veracidade da biblia já nao duvido mais! e sabe porque? porque nao depende de nós para a biblia se cumprir! podemos achar que nao é verdadeira, que esse Deus descrito nela é mau, mas isso nao impede que tudo que está escrito e tudo que é previsto se cumpra, estamos caminhando para isso! Nao podemos ser como o inimigo de Deus (que por sinal, sim existe, porque mesmo que o ser humano negue, mas sabe, no intimo que muitas vezes o que surge em nossas consciencias nao parte voluntariamente nós e isso é um exemplo de como somos manipulados por algo superior tanto do mau como do bem)
e negar a ele e esperando ainda que seja paciente, bom e misericordioso! afinal se somos sua imagem e semelhança, imagina que ele tbm pode se sentir ofendido, triste, como ficam os homens, quando ve seus proprios filhos ou sua propria criaçao o deixando de lado ou simplesmente indiferente, isso exime a Deus da obrigaçao de proteger, dar saude, produzir bençao na vida dessas pessoas, é justo nao é? Faz pouco tempo estava vendo um documentario sobre Israel e a cada parte do documentario que era historico simplesmente e nao de carater religioso, pude perceber como a biblia é clara e sem intençoes, ela é uma descriçao historica das lutas de um País guiado por Deus, inegavel que quando visitam Israel e fazem uma rota com guia turistico, estao lendo a biblia e qual a intençao poderia ter um criador da biblia que nao fosse Deus? Bom, tio espero que veja a minha opiniao ou critica, como queira chamar, como construtiva, porque te convencer do que esta errado ou do que esta certo só Deus conseguirá, e isso está na biblia...abraço fique com Deus!

Barros disse...

Meu caro Antônio.

Obviamente você é uma pessoa muito boa e muito inteligente. Assim sendo, você, que é cristão, sente uma profunda necessidade de "desculpar" o Deus no qual acredita das coisas terríveis atribuídas a ele, e que são descritas no mesmo livro que serviu para gerar a sua fé, quer você admita isso ou não,

Uma coisa interessante que depreendi dos livros de DAWKINS pode ser inferida do seguinte silogismo.

1. A Bíblia é a mensagem de Deus para nós.

2. A fonte da nossa moralidade, bondade, justiça, etc., é Deus.

3. Logo, a fonte de nossa moralidade, bondade, justiça, etc. é Bíblia.

4. Mas há coisas na Bíblia que nós descartamos como sendo a palavra de Deus, porque achamos imorais, malévolas, injustas, etc., e atribuímos tais passagens como sendo uma fonte diferente de Deus.

5. Donde se conclui que a fonte de nossa moralidade, bondade, justiça, etc., não pode vir de Deus, porque, para avaliarmos algo na Bíblia como injusto, malévolo, imoral, não poderíamos usar a própria Biblia como parâmetro.

6. Daí se conclui que nosso senso de bondade, moral, justiça, etc., não vem de Deus.

Qual a solução? Ora, inventar um Deus pessoal, que tem todas as características que nós achamos que um deus precisaria ter para ser adorado por nós. Daí vem uma fusão desastrosa que vocês pretendem fazer juntando o Deus que originou sua crença e o deus que inventaram.

Antonio Ferreira Rosa disse...

Amigo CAVIBO.

Obrigado pela visita e pelo comentário muito coerente...

Entre outras coisas você disse:

""Mas se o medo de não ser mais nada depois que eu morrer, tal como antes de nascer eu teria sido, me faz pior... Portanto, quero, porque sinto necessidade, de me iludir com a eternidade, de acreditar que uma vida eterna exista...""

Amigo, nada mais adequado pra traduzir essa sua ansiedade em relação ao assunto, do que a minha própria ansiedade, que é exatamente como a sua, veja...

Oh, Vida Eterna, dúvida da minha razão, primogênita dos meus anseios de mortal vivente. Se, por óbvio, não posso vê-la no minúsculo das minhas convicções, posso senti-la, tenuemente, no ventre da minha fé, e, intensamente, no desejo do meu otimismo!

Amigo,se não podemos ter convicção na esfera da razão, tenhamos na esfera da fé e do otimismo...

Grande abraço fraternal ao meu nobre amigo!!!

Antonio Ferreira Rosa disse...

Oi minha querida sobrinha!

Fico muito feliz que você tenha aparecido aqui no meu Blog!!!...

Agradeço, sinceramente, sua preocupação com minha “salvação”, sei que é do fundo do seu coração, muito obrigado...

Você disse entre outras coisas:
..."" vejo muita agressividade e revolta da sua parte com Deus””...

Digo muito pelo contrário, estou defendendo a pessoa de DEUS...

Você esta confundindo DEUS com a bíblia, como se as duas coisas fossem uma só, e não tem nada a ver... Esse pensamento é muito equivocado, não só por você, mas, talvez, por bilhões de pessoas na face da terra. Faz parte da confusão e da lavagem cerebral que as religiões e o obscurantismo de um tempo passado fez com as civilizações modernas...

Minhas críticas são, claramente, dirigidas a esse livro “maldito” que difama e calunia intensamente a pessoa do DEUS criador de mim, de você e de todo esse universo magnífico que conhecemos e que não conhecemos também...

Digo a você que o DEUS CRIADOR não é o mesmo “deus assassino” referido na bíblia...

O que faço, é defender o DEUS VERDADEIRO (não o faço porque Deus precisa ser defendido), mas, apenas para alertar as pessoas das mentiras, dos mitos e calúnias contidas na bíblia, que tantos males já fizeram à nossa civilização...

Sinto-me como quem tem uma obrigação, por ter sido liberto: libertar outras pessoas dessa teologia enganadora e maléfica e desse livro mau, chamado BÍBLIA...

Sobrinha, se eu tivesse como debater contigo, pessoalmente, em poucas horas eu a convenceria do que estou dizendo...

Grande Abraço! Você mora no meu coração e nas minhas lembranças...

Ficam dois textos pra reflexão...

http://antonioferreirarosa.blogspot.com.br/2012/02/se-deus-quisesse-falar-humanidade.html

http://antonioferreirarosa.blogspot.com.br/2012/08/uma-bizarrice-biblica.html

Antonio Ferreira Rosa disse...

Meu caro Barros,

Obviamente, atribuo a vc também os mesmos adjetivos atribuidos a minha pessoa, penso, seriamente, que vc é uma pessoa do bem.

Quanto ao "deus" referido na bíblia nem escrevo seu nome com latra maiúscula,ja que não o considero um substantivo próprio.

Também não quero desculpá-lo de nada, mas, condená-lo à proscrição.

Você citou seis pontos que o DAWKINS atribui como sendo fundamentados na bíblia e em deus , concordo plenamente contigo e com ele. Só faltou vocês fazerem uma distinção fundamental: o deus bíblico não é o DEUS verdadeiro, e, se escreve com "d" minúsculo. O Deus verdadeiro, é o criador de mim de você e de todo o Universo...

Abração!